nc3b3s-somos-o-transito1

Nós somos o trânsito: conheça a campanha de conscientização de 2018

As campanhas educativas são muito importantes na conscientização de motoristas e demais usuários de veículos. Em 2018, a Semana Nacional do Trânsito traz o tema “Nós somos o trânsito”, como forma de despertar em todos, motoristas e pedestres, os cuidados necessários para a segurança.

A Lei Seca, em vigor no país há 10 anos, trouxe a redução de 2,4% do número de mortes no trânsito do país. Entretanto, em alguns estados, como Pará, Maranhão, Piauí, Bahia e Tocantins, os números continuam elevados.

Desde 1997 é celebrado no país, entre os dias 18 e 25 de setembro, a Semana Nacional do Trânsito. Ela traz uma série de eventos e ações educativas, promovidas por órgãos e entidades que integram o Sistema Nacional de Trânsito.

Todos os anos o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) escolhe um tema como pano de fundo para as ações da Semana, e o de 2018 é “Nós somos o trânsito”. A ideia é envolver toda a sociedade na reflexão sobre uma nova forma de encarar a mobilidade. Trata-se de um estímulo para que todos os condutores, ciclistas, pedestres e passageiros optem por um trânsito mais seguro.

Tecnologia contribui na soma esforços em prol da vida no trânsito

A tecnologia é mais uma ferramenta utilizada para promover as mudanças tão almejadas no trânsito. Luiz Gustavo Campos, diretor e especialista em trânsito da Perkons, empresa que desenvolve e aplica tecnologia para a segurança no trânsito, conta que os radares, como são, de modo geral, conhecidos os equipamentos de fiscalização eletrônica de trânsito, acabam por inibir o condutor a praticar altas velocidades, induzindo-o a respeitar o limite imposto em cada via. “Além disso, muitos desses dispositivos possuem outras funções, como registrar avanço de sinal vermelho, circulação em faixa exclusiva e conversões proibidas; sempre com o objetivo de tornar as vias mais humanas e seguras para todos”, explica.

Para Campos, os equipamentos de fiscalização somam esforços às campanhas e ações educativas, sendo eficazes para tornar o trânsito menos violento.

“Cada indivíduo precisa refletir sobre seu comportamento e seus deveres quanto usuário das ruas e vias, e também lutar por seus direitos, como usufruir de estradas seguras e bem sinalizadas. O mote “Nós somos o trânsito” mostra que todos têm papel determinante para minimizar as ocorrências e, consequentemente, reduzir o número de vítimas no trânsito”, acrescenta o especialista.