Outubro Rosa: dicas para se prevenir do câncer de mama

Este é o mês oficial do combate ao câncer de mama, uma das doenças que mais atingem mulheres no Brasil e no mundo, correspondendo a 25% dos novos casos de câncer a cada ano, segundo o, Instituto Nacional do Câncer, INCA. O câncer de mama é causado pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor. Eles podem ter o desenvolvimento rápido ou acelerado.

As celebrações do Outubro Rosa servem para conscientizar a população quanto a esse real perigo e para alertar, principalmente as mulheres, sobre a importância do autoexame da mama.

O Ministério da Saúde disponibiliza tratamento gratuito para o câncer de mama através do Sistema Único de Saúde, o SUS. Mas a prevenção ainda é o melhor remédio. Por isso, a Jacar, apoiando o movimento, te dá algumas dicas para ajudar a afastar o câncer de mama do seu caminho.

Fatores que aumentam o risco de câncer de mama

Fatores ambientais e comportamentais:

  • Obesidade e sobrepeso após a menopausa;
  • Sedentarismo (não fazer exercícios);
  • Consumo de bebida alcoólica;
  • Exposição frequente a radiações ionizantes (Raios-X);

Fatores da história reprodutiva e hormonal

  • Primeira menstruação antes de 12 anos;
  • Não ter tido filhos;
  • Primeira gravidez após os 30 anos;
  • Não ter amamentado;
  • Parar de menstruar (menopausa) após os 55 anos;
  • Uso de contraceptivos hormonais (estrogênio-progesterona);
  • Ter feito reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de cinco anos.

Fatores genéticos e hereditários*

  • História familiar de câncer de ovário;
  • Casos de câncer de mama na família, principalmente antes dos 50 anos;
  • História familiar de câncer de mama em homens;
  • Alteração genética, especialmente nos genes BRCA1 e BRCA2.

*A mulher que possui um ou mais desses fatores genéticos/ hereditários é considerada com risco elevado para desenvolver câncer de mama.

A melhor forma de prevenir

Mamografia

Mulheres acima dos 40 anos devem realizar a mamografia anualmente. A partir dos 70 anos, a frequência dependerá do critério médico. Para mulheres com risco elevado, a mamografia deve ser anual a partir dos 35 anos de idade.

Sol

Pegar sol antes das 10h e depois das 16h é importante para aumentar a produção de vitamina D no corpo e reduzir os riscos de câncer de mama.

Amamentação

Amamente o máximo de tempo possível. As mães que amamentam seus bebês por pelo menos um ano reduzem o risco de desenvolverem o câncer de mama futuramente.

Autoexame

O autoexame é indicado para todas as mulheres acima dos 18 anos. A melhor época para fazer o toque é depois da menstruação. Busque por caroços e, caso encontre algo estranho, procure um médico.

A prevenção é sempre o melhor caminho!

10 Itens de segurança do veículo e suas principais funções

Os automóveis brasileiros e os importados que são veiculados no Brasil são fabricados no com 10 itens de segurança obrigatórios. Dirigir um automóvel que não possui a listagem completa dos itens pode gerar multas, perda de pontos na carteira de habilitação, apreensão no veículo (em alguns casos) e perda de segurança para o motorista e todos que estão no carro.

Confira abaixo quais são os principais itens de segurança e qual a importância de cada um:

  1. Pneus: Parte essencial para o carro e para a segurança de todos, o pneu deve ser trocado sempre que o desgaste atinja a marca do TWI. Isso indica que o pneu está impossibilitado para uso e representa perigo.
  2. Luzes: Lanternas de freio e emergência, setas e luzes de ré precisam estar funcionando corretamente para que o veículo seja conduzido em total segurança.
  3. Cinto de segurança: todos os ocupantes do veículo devem estar com os cintos de segurança devidamente colocados. Esse é um item básico e essencial para a segurança.
  4. Buzina: Usada somente em situações de alerta de perigo, a buzina é um item essencial para o carro e deve estar em perfeito funcionamento.
  5. Espelhos: Tanto os retrovisores externos quanto o interno são de extrema importância para a segurança do motorista e dos ocupantes do veículo. Caso eles se quebrem, é preciso trocá-los o quanto antes.
  6. Estepe: Assim como os demais pneus do carro, o estepe deve estar sempre calibrado e balanceado. Ele é usado como pneu reserva caso algum imprevisto ocorra com algum dos pneus dianteiros ou traseiros
  7. Freios: O freio de mão é indispensável para o veículo quando ele está estacionado, principalmente em locais íngremes, evitando que o carro deslize. Desde 2014 todos os carros fabricados no Brasil precisam conter Freios ABS
  8. Airbag: Assim como os freios ABS, o airbag duplo dianteiro se tornou um item de segurança de série desde 2014. Sua função é proteger os ocupantes do carro em caso de colisão, liberando bolsas de ar que amortecem o impacto.
  9. Limpador de para-brisa: Indispensável em caso de chuva, o limpador de para-brisa tem a função de retirar sujeiras e demais fluídos do para-brisa. Ele precisa estar em perfeita condição de uso para garantir a segurança em dias chuvosos.
  10. Ferramentas: Todo carro precisa conter um kit de ferramentas de segurança. Ele deve conter: estepe, macaco, chave de roda e um triângulo de sinalização. Os equipamentos devem estar em perfeito estado de conservação e funcionamento.

Itens de segurança opcionais:

Extintor de incêndio:

A obrigatoriedade do uso de extintores de incêndio ABC nos automóveis vem sendo discutida desde 2015, mas, atualmente, seu uso é facultativo.

Controle eletrônico de estabilidade

Conhecido pelas siglas ESP (programa eletrônico de estabilidade) ou ESC (controle eletrônico de estabilidade), sua principal função é a de evitar que o veículo derrape em curvas ou desvios de trajetória, evitando que o motorista perca o controle do veículo. Este é um item extremamente importante em veículos com centro de gravidade mais elevado, como os utilitários esportivos.

Encosto de cabeça

Apesar de ser uma peça relativamente simples, os encostos de cabeça não estão presentes em todos os modelos de automóveis (principalmente na posição central do assento traseiro).  Esse item é importante em caso de colisões, evitando o efeito chicote, que pode projetar a cabeça do passageiro para trás, provocando lesões na coluna.

Você acredita que algum outro acessório do carro deveria se transformar em um item de segurança? Conte para gente nos comentários!

Para mais dicas como essa, acesse o nosso Facebook ou nos faça uma visita. Esperamos por você!

6 dicas de segurança para o transporte de pets no carro

Muitas famílias possuem bichinhos de estimação, mas na hora das viagens ou passeios, ficam sem saber o que fazer com os pets. Levá-los juntos no pode ser uma boa opção, mas você deve ficar atento a algumas regras sobre o transporte de pets no carro.

Segundo a lei, não existe uma regulamentação taxativa sobre como deve ser o transporte dos animais no carro, mas o Código de Trânsito Brasileiro ressalta que é proibido transportar pets nas partes externas do veículo ou no colo do motorista.  Além disso, também não é indicado que os pets fiquem circulando pelo carro.

Se você ainda tem dúvida sobre a melhor forma para o transporte do seu pet no carro, confira nossas dicas!

  1. Coloque o animal de estimação em uma cadeira de transporte, própria para isso. Ela é presa através do cinto de segurança e impede que o animal seja projetado dentro da cabina em casos de colisão;
  2. Use o cinto de segurança de forma adaptada. Você pode fazer isso ao usar uma coleira engatada no fecho de um dos cintos do banco de trás. Para que essa técnica seja segura e confortável para o pet, é preciso que o cinto/coleira sejam presos de forma adequada e ajustados a uma distância segura. Além disso, é indicado o uso de uma coleira peitoral resistente e apropriada, ao invés das coleiras convencionais;
  3. Animais de pequeno e médio porte também podem ser carregados nos veículos através de caixas de transportes desenvolvidas especialmente para esse tipo de situação. Elas são ventiladas, permitindo que o pet respire e se sinta confortável;
  4. Já para animais de grande porte, uma boa saída pode ser usar grades de contenção que podem ser instaladas na caçamba de pick-ups ou entre o banco traseiro e a tampa do porta-malas (ideias para carro como peruas, hatches e Kombis);
  5. Em trajetos mais longos, o ideal é o que animal viaje em ambientes ventilados e sem estar de barriga cheia (para evitar o enjoo do pet). Além disso, é preciso realizar paradas regulares a cada duas ou três horas, para que o animal possa fazer suas necessidades fisiológicas e se alimentar;
  6. Para finalizar, antes de grandes viagens, leve seu pet a um veterinário para conferir se está tudo bem com ele.

    Seguindo essas simples dicas você poderá passar ótimos momentos com seus bichinhos em suas viagens! Gostou de saber essas dicas de transporte de pets no carro? Então compartilhe com seus amigos que adoram viajar com seus animais de estimação!

    Para mais dicas, acesse o nosso Facebook ou nos faça uma visita!
    Avenida Itamar Franco, 2828 – São Mateus.

8 Dicas para reduzir o consumo de combustível de forma eficaz

Nas últimas semanas o preço do combustível subiu de forma assustadora. A gasolina teve um aumento foi de 8,22% na primeira semana após a elevação dos impostos sobre os combustíveis aplicados pelo governo.

Na mesma semana, a Petrobras elevou os preços nas refinarias em 3,91. E se o preço da gasolina não está deixando os motoristas satisfeitos, o do diesel muito menos.
O preço médio terminou a semana com uma alta de 4,69% nas bombas. Já nas refinarias, o aumento foi de 3,43%.

Mesmo com o significativo aumento do preço do combustível, o cenário ainda é melhor do que poderia ser. A gasolina subiu, na média R$ 0,285, contra previsão de R$ 0,41 do governo. O aumento do diesel também ficou abaixo da previsão do governo, tendo uma elevação de R$ 0,137, contra estimativa de R$ 0,21.

Nesses tempos de mudança, o que resta é tentar economizar no preço do combustível. Por isso, separamos 8 dicas que vão ajudá-lo a reduzir o consumo do seu carro. Confira:

Simples atitudes que ajudam economizar o preço do combustível

Calibragem dos Pneus

Pneus com a calibragem errada influenciam diretamente no consumo de combustível. Um pneu calibrado de forma correta pode reduzir até 20% do consumo.

Troca de marcha

A troca de marcha influencia diretamente no consumo de combustível. Quando você utiliza a aceleração e marcha errada, você gasta muito mais combustível. Fique atento na hora de mudar de marcha.

Aceleração

Evite aceleradas bruscas e desnecessárias, isso afeta o consumo. Também não é recomendado ficar aquecendo o carro pela manhã antes de sair da garagem.

Velas

A velas estão entre os itens de manutenção que mais influenciam no consumo dos carros.  Isso ocorre porque sua função é gerar energia na câmara de combustão para iniciar a queima da mistura ar/combustível. Se as velas estão ruins, essa queima fica irregular, influenciando diretamente no aumento do combustível injetado.

Vidros

Para economizar o ar condicionado, muitos motoristas optam por andar com os vidros do carro aberto. Mas você sabia que isso pode aumentar o consumo? Andar com os vidros abertos interfere na aerodinâmica do carro, aumentando o gasto principalmente quando o motorista está a mais de 80Km/h.

Ar condicionado

Agora que você já sabe que os vidros abertos também aumentam o consumo de combustível, talvez opte pelo ar condicionado, certo? Errado! O ar condicionado também aumenta o consumo em média 20%.

Filtros

Os filtros entupidos influenciam diretamente na mistura de ar e combustível na câmara de combustão. Isso faz com que o veículo gaste mais, porque a mistura fica irregular.

Excesso de velocidade

Para sua segurança e economia, respeite os limites de velocidade. Um carro consome cerca de 20% a mais quando está a 100 km/h do que quando está a 80 km/h.

Essas simples dicas vão fazer com que você não sinta tanta diferença no bolso quando for abastecer o automóvel. Para mais dicas de nossos profissionais, acesse o Facebook ou nos faça uma visita! Estamos na Avenida Presidente Itamar Franco,  2828 – São Mateus. Esperamos por você!

8 situações que podem danificar a pintura do carro e como evitá-las

Não importa a data de fabricação, se é total flex ou só aceita um tipo de combustível. Não importa se o câmbio é automático ou se os bancos são de couro. Se a pintura do carro está em dia, lustrosa e brilhante, o carro parece novo!

Mas para que a pintura do carro esteja sempre em condições perfeitas, é preciso tomar alguns simples cuidados de manutenção, evitando algumas situações que causam grandes danos ao automóvel.  Por isso, separamos 7 formas de evitar que a pintura do carro seja danificada. Confira:

Não estacione o carro próximo a árvores

Sim, a sombra que uma árvore projeta é bem tentadora em dias de sol escaldante. Mas, além do abrigo da luz, as árvores também servem de morada para pássaros.  E é aí que mora o grande problema. As fezes das aves são corrosivas e podem provocar manchas na pintura do carro. Caso isso ocorra, procure remover o quanto antes, utilizando um pano de microfibra úmido com água. Jamais tente raspar a casquinha que se forma do dejeto, isso pode arriscar a pintura do carro.

Procure abrigo durante chuva de granizo

Comuns durante o verão, as chuvas de granizo podem dar grande prejuízo para a pintura do carro. As pedrinhas de gelo que caem podem rachar a pintura e até mesmo amassar a lataria e quebrar vidros do carro. Caso isso ocorra, não demore a procurar um profissional para fazer o reparo. Além de danificar a pintura do carro, o impacto da pedra pode causar infiltração de água e enferrujar a lataria.

 Cuidado com temperaturas extremas

Cuidado ao expor o veículo a temperaturas muito altas ou baixas. Muito frio pode craquelar o verniz. Já deixá-lo exposto a muito calor pode modificar a tonalidade da cor. Porém, fatores como esses ocorrem apenas se o automóvel ficar exposto durante muito tempo, em temperaturas acima de 35 graus ou abaixo de zero. Vale ressaltar que carros novos e mais modernos possuem pinturas preparadas para isso, com camada de verniz bastante resistente. Esse fenômeno costuma ocorrer apenas com veículos mais antigos.

 Evite áreas com muita poeira

Não estacione o carro próximo a lugares com muita poeira, como construções, por exemplo. Por causa da grande concentração de materiais em pó, como o cimento, esses locais se tornam perigosos para a pintura do carro. Para remover esses sedimentos, molhe bastante o carro com água, isso irá tirar a poeira e amolecer o cimento endurecido, evitando riscos no automóvel.

Estradas novas podem não ser uma boa opção

Resquícios de material asfáltico podem acabar grudando sobre a pintura, principalmente quando há reparos recentes na via. O piche é derivado do petróleo, portanto, não pode ser removido apenas com água. Utilize produtos a base de solvente para remoção, como querosene por exemplo. Para isso, encharque o pano com o produto e o deixe agir um pouco para amolecer. É recomendado lavar o veículo com água e sabão neutro após a utilização de qualquer produto químico.

Lave o carro com produtos adequados

Na hora de lavar o carro não há mistério: a dupla água e sabão neutro resolvem muito bem o problema. Evite o uso de produtos de limpeza não apropriados para o carro, pois isso pode provocar grandes problemas na pintura principalmente quando não removidos completamente. Procure por produtos com PH neutro para limpeza do automóvel.

Combustível só no tanque

É sempre importante verificar se, durante o abastecimento, ocorreram respingos de gasolina, diesel ou etanol sobre a pintura. Se isso acontecer, remova imediatamente com água e sabão neutro. Caso perceba tarde demais, leve o veículo à uma funilaria para fazer o polimento especializado para remoção.

 Opte por tecidos de microfibra

O pano ideal para limpeza do carro é o de microfibra, pois possui pequenos furos que “guardam” a sujeira, evitando que fiquem na parte superficial, riscando o veículo. Lave o pano em uma máquina de lavar com centrifugação, pois higienizá-lo e torcê-lo a mão pode estourar suas fibras, o que acabará com os micro furos. O mesmo pano pode ser utilizado até perder sua maciez. Vale lembrar que o ideal é começar a limpeza do automóvel pelas partes superiores, como o teto, onde há menor concentração de sujeira, deixando as partes de baixo por último.

Com esses simples cuidados você vai conseguir manter a pintura do carro sempre bonita! Confira mais dicas nosso Facebook ou nos faça uma visita na Avenida Presidente Itamar Franco, 2828 – São Mateus. Esperamos por você!

Novo Rally MG: sucesso também na segunda etapa

Sábado, 27 de maio. O contraste reinou. Em pleno inverno na Zona da Mata Mineira, o clima era quente entre os competidores da 2ª etapa do Novo Rally MG. Fora da pista, alto astral e amizade entre os participantes. Dentro, disputa acirrada e trajeto implacável, com referências curtas e justas.Médias apertadas. Vacilou, dançou.

Os membros do M8 Rally Club e do Jeep Club Juiz de Fora (organizaores da prova) tinham um compromisso exigente: fazer essa 2ª etapa igual ou melhor do que a anterior. Os competidores de várias cidades e de outros estados apostaram no êxito: as inscrições em todas as cinco categorias se esgotaram muito mais cedo que o esperado. Mais uma vez, quem vacilou, dançou…

Os participantes foram recebidos, horas antes da prova, com um café da manhã caprichado oferecido pelo Jeep Clube de Barbacena. A largada e a chegada aconteceram na acolhedora Barbacena, em um parque de exposições amplo e com boas instalações, clima ameno e céu azul.

E foi dentro desse parque que o público acompanhou de perto um balaio que cobrou precisão dos navegadores e perícia dos pilotos. No trecho intermediário, lindas paisagens e trechos em fazendas fechadas, visando a segurança dos pilotos, navegadores e moradores da região. No total, 230 km de prova com duração de quatro horas e meia.

A próxima etapa, que será dupla, está marcada para 5 e 6 de agosto, dentro da 28º edição do Ibitipoca Off Road, no município de Lima Duarte (MG).

Resultados da 2ª etapa do Novo Rally MG

Categoria Master
1º Fernando Lage / Rafael Dal Bello – Belo Horizonte – MG
2º Fernando Gomes (Fefé) / Breno Rezende – Belo Horizonte – MG
3º Braulio Ferreira / Matheus Mazzei – Juiz de Fora – MG
4º Lionardo Almada / Leonardo Martins – Juiz de Fora – MG
5º Wander Filho / Wagner de Paula – Belo Horizonte – MG

Categoria Graduado
1º José Eduardo Guerra / Marcia Guerra – Uberlândia – MG
2º Marcelo Jucá / Pedro Jucá – Juiz de Fora – MG
3º Glauber Fontoura / Mauricio Sorocaba – São Paulo- SP
4º Roberto Bomtempo / Icaro Martins – Rio de Janeiro – RJ
5º Jean Kamil / Leo Vieira – Juiz de Fora – MG

Categoria Turismo
1º Sandra Dias / Minae Miyauti – São Paulo – SP
2º Amir Novaes / Yago Massariol – Volta Redonda – RJ
3º Paulo Renato / Vinicius Mota – Juiz de Fora – MG
4º Sérgio Andrade / Ricardo Andrade – São Vicente de Minas – MG
5º José Marcos (Pequeno) / Anibal Maini (Bill) – Juiz de Fora – MG

Categoria Turismo Light
1º Kleber Santana / Fernanda Santana – Guarulhos – SP
2º Reinaldo Cardoso / Cesar Junior – Niteroi RJ
3º Luciana Scarabelli / Raphael Scarabelli – Belo Horizonte – MG
4º Sergio Maurano / Adriana Maurano – São Paulo -SP
5º Lucas Franco / Bruno Santos – Juiz de Fora – MG

Informações sobre o Novo Rally MG:
www.novorallymg.com.br

Imprensa
Alexandre Dudu Mazzei (jornalista e fotógrafo) no alexandremazzei@yahoo.com.br ou Whatsapp (32) 987043483

Dicas para diminuir os pontos cegos do retrovisor

Uma das principais dificuldades dos motoristas é em relação a visão: como eliminar os pontos cegos do retrovisor da melhor forma possível? Para o condutor, existem basicamente três visões de dentro do carro, as dianteiras naturais, as visões periféricas e também as naturais nossas, onde conseguimos visualizar objetos, mas eventualmente não sabemos definir o que eles são.

Os retrovisores ajudam nas visões que não temos naturalmente e, além de serem obrigatórios no veículo, são os responsáveis por ajudar a evitar milhares de acidentes ao diminuírem os chamados pontos cegos.

 O ponto cego

Os Pontos cegos do retrovisor são áreas laterais ao veículo ou coberto por alguma coluna que não é possível ver, por exemplo: outros carros do lado ou na traseira do carro.

E você pode evitar isso com a boa regulagem dos seus retrovisores, pois eles são de suma importância para qualquer motorista, é com eles que sabemos se tem outros veículos ou motocicletas na pista, como também pedestres e objetos no asfalto, assim, evitando acidentes.

Regulando o retrovisor de forma correta

  • Para regular os retrovisores de forma correta, primeiro é preciso se posicionar de forma correta no banco. Para isso, seu pé precisa alcançar o fundo do pedal, seus punhos precisam alcançar a parte superior do volante (ficando semi-flexionados) e suas costas devem estar bem apoiadas no encosto.
  • Depois de estar bem posicionado em seu lugar, o motorista precisa iniciar a regulagem do retrovisor interno de forma que seja possível visualizar a maior parte da traseira do veículo. Essa regulagem se torna precisa ao posicionar o retrovisor pegando a maior área do vidro e a maior parte da visão traseira. Esse posicionamento pode variar de acordo com a altura do veículo, podendo obstruir a visão do condutor e dificultar a identificação de crianças ou objetos pequenos.
  • É no ajuste correto dos retrovisores externos que você diminui o seu ponto cego. Um uma pequena mudança no retrovisor pode te garantir alguns metros de visão traseira. É quando você vê mais da via e menos do veículo que o ajuste está coreto, dessa forma, você vai aumentar seu campo de visão, diminuindo os pontos cegos e ajudando a evitar acidentes.

Agora que você já sabe como diminuir os pontos cegos do retrovisor, que tal começar a colocar em prática a nossa dica?

 

3 cuidados básicos com faróis que fazem a diferença

Peças essenciais do veículo, os faróis do carro estão entre os itens mais importantes para a segurança do motorista e passageiros. Eles garantem maior visibilidade em ruas e rodovias, além se ser útil na comunicação entre os motoristas. Caso esteja quebrado ou em mau funcionamento, aumenta consideravelmente as chances de colisões e acidentes. Por isso, ter alguns cuidados básicos com faróis do carro é fundamental para uma viagem segura.

Confira algumas dicas!

Verificação de vedação e lentes

Ao notar o acúmulo de água no interior dos faróis ou a formação de gotículas na parte interior deles, procure um especialista para ajustar a vedação deles. A água pode ser uma grande vilã para os faróis, por isso, ao identificar esses sinais é importante fazer a vedação dos mesmos. O acúmulo de água nos faróis pode gerar uma pane no sistema elétrico e comprometer a segurança do veículo.

 Cuidado com os efeitos do clima

Você já deve ter visto veículos circulando com os faróis com aspectos amarelados e opacos, certo? Mas você sabia que isso acontece por causa dos efeitos do clima? Chuva, altos índices de radiação solar e excesso de umidade e luz podem danificar os faróis. Dentre os cuidados básicos com faróis você pode:

  • Evitar a exposição constante do automóvel a chuva e raios solares;
  • Procure garagens com cobertura ou espaços públicos que sejam protegidos da luz;
  • Em caso de chuva de granizo, busque abrigo. Além de danificar os faróis, o granizo também pode amassar a lataria do carro.

Se o farol já está danificado:

Quando há danos em sua fixação, o recomendado é o reparo ou a substituição do conjunto. Já para opacidade de lente, recomenda-se o serviço de polimento. É importante procurar um local de confiança, pois há variedade de lentes, que podem ser de policarbonato ou vidro.

Com esses cuidados básicos com faróis, além de mais seguro, seu carro vai estar muito mais bonito. Para mais dicas acesse nossa página no Facebook ou nos faça uma visita. Esperamos por você!

Você sabe qual a importância dos aros dos pneus?

Você deve saber que os tamanhos dos pneus afetam o desempenho e influenciam o consumo de combustível do seu carro, certo? Mas você sabe qual a importância dos aros dos pneus? Primeiro vamos entender a função do aro para a roda:

  • O aro é a circunferência da roda que vai dentro do pneu.
  • Perfil: Perfil é a altura do pneu, quanto maior a roda, menor o perfil, porque é obrigatório manter o tamanho do conjunto ou o diâmetro externo. Essa medida pode variar apenas 3% para mais ou para menos, para garantir o desempenho e a segurança do carro. Mantendo o diâmetro externo do conjunto, o que altera é a altura do perfil do pneu, por exemplo, o perfil aro 18 é maior que o perfil do aro 19, o que é menor impacta em toda característica de performance, conforto e dirigibilidade.

exemplificação dos aros dos peneus

Atualmente, a moda automotiva instiga os motoristas a terem carros com aros maiores, deixando os aros menores, como o 13, sem grande aquisição. Em alguns casos, as montadoras oferecem até três opções para o mesmo modelo, por exemplo, um carro com aro 14, 15 e 16. Além disso, os carros que estão sendo lançados estão mais altos, por isso, o tamanho da roda precisa estar de acordo, aumentando assim o aro dos pneus.

diferentes tipos de aros dos pneus

Direção segura

Além da estética, o tamanho e o tipo dos pneus também determina o comportamento do carro na estrada, o que influencia diretamente na sua segurança e de todos que estão com você. Para começar, é preciso verificar se todos os pneus são do mesmo tamanho.  Quando os pneus não combinam, um veículo está em risco de responder de forma inadequada em situações de emergência.

É importante lembrar que se o seu carro possui aro 13, você não pode usar um pneu com aro 17. Mexer nas medidas do pneu é bem sério! Sem conhecimento adequado pode provocar problemas nos comandos eletrônicos e até nos freios. Mesmo nos casos de personalização em que rodas de aro 30, 34 e até 38 valorizam o projeto estético é necessário cuidado.

Pneus novos

Se você está pensando em trocar os pneus do seu carro, a hora é agora! A Jacar está com uma promoção imperdível de pneus Michelin. Confira!

  • Pneus aro 14 para gol, Uno, Ônix e HB20 por R$299,00;
  • Pneus aro 15 para Idea, Pegeout 208, Pálio e Fiesta  por  R$349,00;
  • Pneus aro 16 para Civic, Corola, Focus e Línea por R$359,00;
    Pneus aro 17 para Jeta, Gol e I30 por R$399,00.

Dúvidas e informações: (32) 3232-4900 ou nos faça uma visita na Avenida Presidente Itamar Franco, 2828, São Mateus – Juiz de Fora. Esperamos por você!

Você sabe qual a diferença entre alinhamento e balanceamento?

Essenciais para a segurança do automóvel, muitas pessoas ainda confundem qual a função específica do alinhamento e balanceamento. Mas a gente te explica: se você sente que o carro está puxando para a direita ou para a esquerda quando libera o volante em um curto período de tempo, significa que é preciso verificar o alinhamento do automóvel.

A verificação do balanceamento é necessária quando o volante está vibrando ou apresenta barulhos em determinadas velocidades. Ficou mais fácil agora?  Então veja porque é importante fazer o alinhamento e balanceamento do seu carro.

Alinhamento:

Quando você faz o alinhamento do seu carro está prevenindo: o desgaste irregular dos pneus, aumentando, assim, a vida útil dos mesmos; aumentando o atrito dos pneus no solo, contribuindo para a economia de combustível  e evitando o deslocamento do veículo, melhorando assim a dirigibilidade e segurança de todos.

O alinhamento do carro pode ser comprometido devido ao choque do pneu em uma calçada, ou mesmo por passar em buracos na pista, além de acidentes mais graves, como colisões. Quando o veículo fica desalinhado, as bordas dos pneus se desgastam mais rapidamente, comprometendo, assim, a função do veículo.

Você deve realizar o alinhamento dos pneus sempre que:

  • Fizer revisões periódicas estipuladas pelo fabricante do veículo;
  • Após impactos (de menor ou maior gravidade);
  • Quando houver substituição de algum elemento da suspensão ou direção;
  • Ao notar algum comportamento estranho do veículo, tendendo a ir mais
    para um lado ou com dificuldade de se manter na trajetória;
  • Quando forem verificados desgastes irregulares nos pneus;
  • Sempre que trocar os pneus.

Balanceamento:

Quando você opta por não fazer o balanceamento do seu veículo, quando o procedimento é mal feito ou você se esquece de fazê-lo, surgem vibrações no volante, no piso do carro, no painel de instrumentos e até mesmo nos assentos, mesmo estando em baixa ou alta velocidade.  Fazer o balanceamento nas quatro rodas é essencial para o conforto na condução e para o bom desempenho dos pneus.

Você deve realizar o balanceamento do veículo quando:

  • Os pneus sofrerem colisões ou fortes atritos, pois ficam mais desgastados de um lado;
  • Ao sentir trepidações na carroceria, onde a possível causa é o desbalanceamento das rodas traseiras;
  • Ao sentir trepidações na direção, provavelmente causadas pelo desbalanceamento das rodas dianteiras;

Agora que você já sabe quais as principais diferenças entre o alinhamento e o balanceamento, é importante ficar atento aos sinais que o seu automóvel apresenta. E se precisar de uma mãozinha, é só procurar a Jacar Pneus!